Assinatura RSS

Arquivo da tag: molhos

O que é alho negro e MAIS: teste do molho béarnaise

Publicado em

Filé de peixe com béarnaise de alho negro

Oi gente!

Cá estou eu novamente, desta vez para falar de mais uma das minhas (des)aventuras na alta gastronomia. Já faz um tempo que comprei o tal alho negro e a decepção foi tanta que me deu até preguiça de comentar aqui.

Como acho que muita gente tem a mesma curiosidade (né Kika?), relatarei minha experiência logo abaixo.

Devo destacar que quis matar dois coelhos com uma cajadada (ou caixa d’água, diriam os engraçadinhos) só, então aproveitei para testar o molho béarnaise que já comentei aqui.

Alho negro:

Clique na imagem para ler a notícia na íntegra

 

Para fabricar um alho negro é necessário selecionar as melhores cabeças do alho comum – geralmente as com dentes maiores –, além de ter conhecimento sobre processos de fermentação. Escolhidas as cabeças, elas são mantidas numa estufa por entre três semanas e um mês. Nesse período, são controladas a temperatura e a umidade para que possibilitem atingir a coloração e o ponto ideal de maturação. “Não se aplica nada: é alho puro”, explica o chef.

Fonte: Revista Globo Rural

A receita é simples:
Usei filé de merluza. Deixei marinando em suco de limão, alho e sal (como sempre). Enquanto isso fiz a béarnaise seguindo a receita que já publiquei aqui. No final, acrescentei o alho negro.
A receita ficou bem gostosa.

Minhas considerações:

O molho béarnaise é é muito complicado pro resultado final. Não me entendam mal. É gostoso e cremoso, mas não é algo superior a qualquer outro molhinho gostoso e, o que valorizo muito, PRÁTICO. Não sou o tipo de pessoa que curte passar muito tempo preparando. Só faço receitas difíceis se valerem muuuito a pena. Um exemplo: Gnocchi. Tem também uma torta de ricota com pêssegos que faço que tem várias etapas mas fica divina.

O alho negro: é gostosinho. Realmente tem um sabor adocicado e não lembra gosto de alho. Me lembra shitake, porém um pouco mais ácido e com fundo de defumado. É uma experiência diferente mas que, para mim, não vale a pena ser repetida (principalmente porque paguei 15 reais numa cabeça de alho, o que inclusive me fez considerar produzir e ficar rica vendendo pra restaurantes – coisa que, se fizer, apagarei esse post e escreverei outro dizendo o quanto o alho negro é maravilhoso…huahauhauha).

Por favor, encarem esse post como a opinião de uma pessoa normal, que cozinha EM CASA e não tem nenhuma formação em gastronomia. Não sou crítica culinária, apenas quis compartilhar com vocês o meu parecer ;)

Beijos!

O que é Molho Béarnaise?

Publicado em

Aqui também tem cultura!! Tá pensando o quê?!?!
Como já diria o ET Bilu: “busquem conhecimento”! hahaha
Foi isso que eu fiz. Quer aprender o que é Béarnaise?? Então faz um biquinho francês e vem comigo, s’il vous plait!

Até hoje de manhã eu também não sabia o que era béarnaise (vocês conhecem??). Daí ouvi na NamariaBraga e fui pesquisar. Legal conhecer coisas novas, né?

Bom, daí que molho béarnaise tem toda uma técnica, meu bem. Rola um processo químico complicado!

Pra começar, a wikipedia explica: Molho Béarnaise é um molho feito de manteiga clarificada emulsionada em gemas de ovos e aromatizado com ervas. Na aparência, é amarelo claro e opaco, suave e cremoso. É um molho usado para bifes.

A Superinteressante explica a química por trás do negócio:

Culinária: Ciência ao molho Béarnaise

Quando menos se espera, uma das glórias da cozinha francesas desanda. Os cientistas explicam por que às vezes isso ocorre e por que às vezes não
por Maria Inês Zanchetta e Waltraut Helene Lay

À primeira vista parece simples: de fato, não há dificuldade alguma em ferver um punhado de estragão e cebola picada numa mistura de vinagre e vinho até que boa parte do líquido tenha se evaporado. Depois de coada, a infusão volta ao fogo brando e a ela acrescentam-se gemas. Em seguida, já fora do fogo, manteiga derretida, aos poucos e sem parar de bater. Sal, pimenta, umas gotinhas de limão, salsinha picada, e está pronta uma das glorias da cozinha clássica francesa: o molho béarnaise, fino acompanhamento para aves, peixes e, principalmente, carnes grelhadas. Mas, como bem sabem os doutores de forno e fogão, as aparências enganam.

Esse é um dos molhos mais difíceis de fazer. Só quem já se aventurou a prepará-lo conhece as armadilhas escondidas na operação. Pois, mesmo que o cozinheiro não tenha feito nada de errado, a iguaria pode desandar quando menos se espera. A arte de cozinhar, que não é senão provocar reações químicas entre substâncias, tem dessas coisas. Mas aquilo que pode parecer um insondável mistério, como a causa do desastre de uma sauce tão ingênua, se explica pela teoria científica – a rigor, por duas teorias.[…]

O texto é bem comprido, então se quiser ler o resto é só clicar aqui ;)
Aí fui atrás de um vídeo explicando por que né, que seria de mim sem o Youtube?? [pausa dramática]

Achei um videozinho bem legal, da chef Flávia Quaresma (do “mesa pra dois”, lembra?) fazendo um atum com molho béarnaise que parece duas uma delícia!

Tem várias receitas legais com frutos do mar no canal dessa marca Frescatto (e olha que não to ganhando nem um camarãozinho pra falar isso aqui, hein?)

Agora você já sabe mais uma coisa legal! Vai fazer o molho béarnaise na sua casa?
P.S.: Pra provar que nem tudo é glamour, enquanto eu escrevia esse post CARBONIZEI uma panela de carne. Um beijo pra quem fica na internet e esquece a comida no fogo.