Assinatura RSS

Arquivo da tag: Almoço de domingo

Dicas para sua ceia: como calcular as quantidades por pessoa!

Publicado em

Oi gente!

Muita gente tem essa dúvida e resolvi ajudá-los. Não é uma conta exata, varia muito de família para família (visto que algumas pessoas não comem carne, e outras comem até demais… )

- Na nossa família calculamos 10Kg de comida por pessoa. Risos.

Esse cálculo serve para outras ocasiões, como churrascos e festas em geral.

Refrigerante:
Você pode calcular 600ml a 800ml, mais ou menos, para cada um. Como geralmente a festa é demorada, a gente vai tomando ao longo da noite.  Parece muito, mas são aproximadamente 3-4 copos de refrigerante por pessoa. (Só eu tomo uns 6, mas SÓ DEUS PODE ME JULGAR).

Carnes:
Calcule mais ou menos 300g por pessoa. Isso também serve para churrascos.  Se só houver um tipo de carne acredito que você possa calcular uns 250g (isso porque quando há vários tipos a gente sempre quer experimentar um pouco de cada e acaba comendo mais).

Arroz:
O ideal é uma xícara de café por pessoa. Essa medida sempre dá certo, mesmo para o dia a dia.

Salada verde:
É difícil medir pois cada um come um tanto. O ideal é você deixar as verduras lavadas, sem tempero em uma travessa, ir abastecendo-a aos poucos (conforme a necessidade) e deixar o molho à parte. Assim se sobrar você pode guardar na geladeira e consumir nos próximos dias.

Bom, acho que esse é o básico. Qualquer dúvida me escrevam ;)

Como é na sua casa? Essa conta funciona?

Beijos e boas festas!!

Sugestões para ceia de natal/ano novo

Publicado em

Mais uma vez cá estou eu para sugerir pratos para sua ceia!

Essas são só algumas sugestões pois o cardápio varia sempre de acordo com o que sua família mais gosta. Recomendo fortemente que você faça esse risoto de limão siciliano se for servir carne de porco. Combina super bem!

Risoto de limão siciliano – Se não encontrar o siciliano pode fazer com tahiti mesmo. Vá provando para não ficar muito ácido. Acompanha muuuito bem carne de porco e aves.
Penne com molho de shitake – Uma sugestão diferente, já que nunca vi servirem macarrão na ceia. Você pode inovar!! hahaha
Arroz de forno – Você pode colocar o que quiser nesse arroz. SUGIRO MUITO PALMITO (amo). Você pode colocar pedaços de tender, frango, etc e servir como prato único (na verdade com uma saladinha,que é pra não ficar xoxo).
Carne assada com molho de cogumelos
Risoto de funghi – Esse risoto eu já fiz com várias combinações. A última delas foi funghi e gorgonzola. Ficou muito bom!!
Gnocchi feito em casa – Esse é pra quem tem tempo sobrando! Haha

Beijos!

Arroz de forno com garam masala

Publicado em

Arroz de forno

Oi gente!

Como vocês sabem eu estou viajando mas deixei alguns post já agendados. Esse é um deles ;)

Fiz esse arroz num dia em que estava com muita pressa (pra variar) e queria um prato único. Chamei de “arroz de forno” mas na verdade fiz na panela. Não sei como chamar pois não é um risoto. O mais próximo que achei foi arroz de forno. Chame de arroz de forno de panela, ou como preferir… haha

O garam masala dá um sabor muito diferente ao arroz. Sabe aquele tempero que você não sabe dizer exatamente o que é?
Para quem não conhece, o garam masala é uma mistura indiana de temperos.

   Garam masala (do hindi garam, “picante” e masala, “pasta”) é uma mistura de especiarias moídas muito comum na culinária da Índia, sendo também encontrada nas culinárias de outros países do sul da Ásia. Pode ser usado simples ou em conjunto com outros temperos. O garam masala é forte, mas não picante como uma malagueta.
A composição do garam masala varia de região para região, havendo uma grande variedade por toda a Índia. Alguns dos ingredientes mais comuns são grãos de pimenta preta e branca, cravinho, louro, cominho preto, sementes de cominho, canela, cardamomo preto, castanho e verde, noz-moscada, anis e sementes de coentro. São usadas diversas combinações destes ingredientes nas variações regionais do garam masala, não sendo nenhuma delas considerada mais autêntica que a outra.
Fonte: Wikipedia

Muito simples de fazer! Você pode, inclusive, usar o arroz pronto que estiver na geladeira.

Ingredientes:
Para o arroz:
– 1 xic. de arroz
– 2 dentes de alho picados
– 1 col (sopa) de óleo
– Sal a gosto
– 2 e 1/4 xíc. de água

Para o molho:
– 1 lata de molho pronto
– 1 col. (sopa) cheia de garam masala
– cebola e alho a gosto
– Filé de peito de frango picado miudinho, temperado com limão, alho e sal.
– Sal a gosto
– 1/2 xic de azeitonas pretas picadas

Modo de fazer:
Faça o arroz como de costume (na lista de ingredientes segue um exemplo de receita. Eu tempero só com alho e sal.) ou use o arroz do dia anterior.
Em outra panela refogue o frango em óleo, cebola e alho. Adicione o molho de tomate, o garam masala e o suco de limão que você usou para temperar o frango. Adicione as azeitonas e corrija o sal.
Misture o molho ao arroz e está pronto!
Se gostar, pode adicionar queijo parmesão ralado ou muçarela (NÃO CONSIGO ME ACOSTUMAR A ESCREVER MUSSARELA COM Ç, MAS A NOVA REGRA GRAMATICAL DIZ QUE É ASSIM…). Eu coloquei também uns pedacinhos de damasco (só no meu prato porque meu marido não curte).

Você pode adicionar o que quiser e fazer sua própria receita original ;)

Beijos!

O que é alho negro e MAIS: teste do molho béarnaise

Publicado em

Filé de peixe com béarnaise de alho negro

Oi gente!

Cá estou eu novamente, desta vez para falar de mais uma das minhas (des)aventuras na alta gastronomia. Já faz um tempo que comprei o tal alho negro e a decepção foi tanta que me deu até preguiça de comentar aqui.

Como acho que muita gente tem a mesma curiosidade (né Kika?), relatarei minha experiência logo abaixo.

Devo destacar que quis matar dois coelhos com uma cajadada (ou caixa d’água, diriam os engraçadinhos) só, então aproveitei para testar o molho béarnaise que já comentei aqui.

Alho negro:

Clique na imagem para ler a notícia na íntegra

 

Para fabricar um alho negro é necessário selecionar as melhores cabeças do alho comum – geralmente as com dentes maiores –, além de ter conhecimento sobre processos de fermentação. Escolhidas as cabeças, elas são mantidas numa estufa por entre três semanas e um mês. Nesse período, são controladas a temperatura e a umidade para que possibilitem atingir a coloração e o ponto ideal de maturação. “Não se aplica nada: é alho puro”, explica o chef.

Fonte: Revista Globo Rural

A receita é simples:
Usei filé de merluza. Deixei marinando em suco de limão, alho e sal (como sempre). Enquanto isso fiz a béarnaise seguindo a receita que já publiquei aqui. No final, acrescentei o alho negro.
A receita ficou bem gostosa.

Minhas considerações:

O molho béarnaise é é muito complicado pro resultado final. Não me entendam mal. É gostoso e cremoso, mas não é algo superior a qualquer outro molhinho gostoso e, o que valorizo muito, PRÁTICO. Não sou o tipo de pessoa que curte passar muito tempo preparando. Só faço receitas difíceis se valerem muuuito a pena. Um exemplo: Gnocchi. Tem também uma torta de ricota com pêssegos que faço que tem várias etapas mas fica divina.

O alho negro: é gostosinho. Realmente tem um sabor adocicado e não lembra gosto de alho. Me lembra shitake, porém um pouco mais ácido e com fundo de defumado. É uma experiência diferente mas que, para mim, não vale a pena ser repetida (principalmente porque paguei 15 reais numa cabeça de alho, o que inclusive me fez considerar produzir e ficar rica vendendo pra restaurantes – coisa que, se fizer, apagarei esse post e escreverei outro dizendo o quanto o alho negro é maravilhoso…huahauhauha).

Por favor, encarem esse post como a opinião de uma pessoa normal, que cozinha EM CASA e não tem nenhuma formação em gastronomia. Não sou crítica culinária, apenas quis compartilhar com vocês o meu parecer ;)

Beijos!

Risoto de Shitake e vinho tinto

Publicado em

Hmm… só de pensar dá água na boca né??

Tava mesmo uma delícia. Pena que já acabou! =O

Ingredientes:

  • Meia bandejinha (daquelas de isopor) de shitake
  • Shoyu
  • Azeite, Cebola e alho
  • 1/2 xícara de vinho tinto
  • 1 litro de caldo de legumes (Usei 1 tablete e 1/2 pois o shoyu já é salgado)
  • 2 xícaras de arroz arbóreo
  • Ervas de Provance
  • Parmesão ralado
  • 1 colher (sopa) de manteiga

Modo de fazer :
Deixe o shitake de molho no shoyu (meia xícara dá) enquanto prepara o risoto (se estiver usando o cogumelo seco deixe-o hidratar). Numa panel, aqueça o azeite e refogue cebola e alho. Acrescente o arroz e o vinho tinto, mexendo até que ele seja absorvido. Vá acrescentando o caldo de legumes aos poucos, mexendo para que o arroz absorva. Quando estiver quase no ponto (RISOTO NÃO É PAPA, HEIN? Tem que ficar meio durinho) acrescente o shitake com shoyu e tudo. Acrescente as ervas de Provance e prove o sal. Para finalizar, coloque a colher de manteiga no centro da panela e mexa em volta, envolvendo-a (assim o risoto fica brilhante). Jogue o parmesão ralado por cima e coma até passar mal! huahauhauha

Nataly não aprova comer até passar mal embora faça isso com frequência

*Dica: Se for receber amigos e quiser adiantar o risoto, pare o cozimento um ponto antes de acrescentar o shitake (o arroz deve estar durinho). Deixe o risoto bem molhadinho e resfrie. Depois é só finalizar na hora que os convidados chegarem ;)

Beijos!

Tomate recheado com frango e queijo coalho

Publicado em

Olha a gorda de novo!

Devo contar que quinta-feira fui na nutricionista e ela me deu vááários conselhos, que logo postarei aqui. Maaaas, enquanto ela não me passa a dieta, vamos fazendo gordice mesmo!

Eu achei esse tomate caqui gigante na quitanda e logo pensei em fazer recheado. PORÉM, nesse dia eu estava sem carne moída. Acho ótimo que às vezes não tenha um ingrediente pois é assim que surgem as receitas novas!

Tinha uns pedaços de peito de frango na geladeira, mistura com isso, põe um pouco daquilo outro e VOILÀ! Receita nova.

Anotem aí:

Ingredientes:

  • Tomate (se não for um gigante desse não tem problema, faça porções individuais)
  • Peito de frango cortado em cubinhos, temperado com lemmon pepper, alho e sal
  • Queijo coalho em cubinhos
  • Cream cheese

Modo de fazer:
Retire o miolo do tomate (aproveitei na salada) e reserve. Frite o frango e o queijo coalho (separadamente). Adicione um pouco de cream cheese para dar liga. Recheie o tomate com essa mistura e cubra com parmesão ralado. Leve ao forno até  o parmesão dourar.
Coloquei algumas cebolas temperadas com shoyu em volta do tomate, para ele ficar mais firme na travessa e também porque adoro cebola assada.

Beijos!

Almoço de domingo: Puchero

Publicado em

Coisa boa hoje, hein??

Puchero (lê-se putchero) é o tipo da comida que aqui em casa não dá nem pu chêro.. HAHA Sacaram o trocadilho?? ¬¬’

ENFIM…

Puchero é um cozido tradicional dos países de origem hispânica. Puchero é o nome da panela (seria o nosso equivalente a caçarola, coisa assim, onde o prato é denominado pelo recipiente onde é preparado). É feito a base de carnes e embutidos, com legumes e vegetais. São utilizados principalmente grão-de-bico e batata, acrescidos de cenouras, couve, repolho, abóbora, etc.
Originalmente era uma comida dos camponeses espanhóis, que aproveitavam todos os restos para fazer o puchero (como a nossa feijoada).

Como sempre, eu mudei um pouco a receita, usando o que eu tinha em casa. Você pode fazer do seu jeito, colocando mais do ingrediente que você gosta e tirando algum que não gostar. As quantidades variam de acordo com o número de pessoas ;)
Minha dica: faça bastante e SE SOBRAR, congele.

Ingredientes:

  • Grão-de-bico
  • Cenouras em pedaços
  • Batatas em pedaços (cortei em quatro)
  • Repolho (rasguei as folhas)
  • Carne de porco em cubos (usei lombo)
  • Carne de frango em cubos (usei peito)
  • Carne seca em cubos
  • Linguiça calabresa ou portuguesa em rodelas
  • Vagem
  • Abóbora em cubos
  • Cheiro-verde
  • Caldo de legumes
  • Açafrão (ou cúrcuma)

Modo de fazer:
Deixe o grão-de-bico de molho algumas horas e depois cozinhe na pressão (uns 15 minutos, mas depende da quantidade). Reserve. Refogue as carnes, acrescente o caldo de legumes e leve à pressão até amolecerem bem. Retire a pressão e acrescente a linguiça, os legumes e o açafrão (eu usei cúrcuma porque não tinha açafrão). Quando estiverem cozidos acrescente o repolho. Junte o grão-de-bico, o cheiro verde e pimenta, se gostar. Acerte o sal. Sirva com arroz.